Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DVD

DVD

Grandes Filmes, Péssimas Edições

 

Como já tinha noticiado anteriormente, o jornal Expresso iniciou hoje o lançamento da sua colecção Grandes Filmes.


Mas afinal estes "Grandes Filmes" não mereceram por parte do Expresso um tratamento condizente com o nome dado à colecção.


Para começar o dvd arranca com o já conhecido anúncio anti-pirataria, que aparece em muitas edições. O anúncio já é irritante só por si, ninguém que esteja a pensar fazer uma cópia ilegal vai ter um ataque de moralismo só porque nos dizem que copiar um dvd é como roubar um carro, e quem não comete estas loucuras não devia ter de levar com o anúncio em quase todos os dvd's legais que compra... Mas o que é realmente irritante, neste caso, é que o anúncio não poder ser ultrapassado, e só se tem acesso ao menu inicial depois de este ter sido visto na interra. Deve ser o castigo por estarmos a ver um dvd que foi grátis.


O menu é uma horrível montagem de imagens do filme (o da edição que se encontra à venda é uma bela vista aérea de Toquio durante a noite) e não há qualquer extra. Mas aqui não há novidade nenhuma, isto é frequente nas edições nos jornais, e já que o dvd é gratuito ninguém esperaria mais. Seria de esperar, isso sim, que o filme não estivesse mutilado.


Tal como nunca vi  um quadro ser cortado só para caber numa moldura mais pequena, faz-me bastante confusão perceber a lógica de cortar um filme originalmente concebido em formato panorâmico para o colocar em 4:3. O realizador escolhe as imagens que quer passar para a película, o enquadramento que melhor mostra o que quer transmitir, para depois na edição em dvd, chegar um qualquer editor sem sensibilidade artística ou identificação com o filme e cortar um bocado de cada lado... Simplesmente não faz sentido.


É o que acontece nesta edição de Lost in Translation, não só a imagem está em 4:3, como o som é Dolby Digital 2.0, em estéreo portanto. Imagino que não ser uma pista em mono é já uma sorte...


Felizmente já há muito que tinha comprado a edição que se encontra à venda nas lojas, e para melhor mostar aquilo que disse em cima, deixo aqui umas imagens para que se possa comparar a diferença entre as duas edições.

 

 

Dizem que a cavalo dado não se olha ao dente... Mas parece-me que quando comprar as próximas edições do Expresso, deixo os dvds  no quiosque, pode ser que alguém não se importe de ver filmes assim.