Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DVD

DVD

Lançamentos de Setembro (actualizado)

 

Neste mês de Setembo os lançamentos interessantes não serão muitos, de qualquer modo há alguns filmes de qualidade a fazer a sua primeira aparição em dvd. Entre os quais Infiltrado (Inside Man), de Spike LeeCapote, com a brilhante interpretação de Philip Seymour Hoffman, ou V de Vingança (V for Vendetta). Além destes títulos, tenho curiosidade em ver O Novo Mundo (The New World), o filme que Terrence Mallick realizou após a obra prima que é A Barreira Invisível.

 

Lançamentos para Setembro:

Dia 14

Infiltrado (Inside Man)
V de Vingança (V for Vendetta)

 

Dia 20


Kenai e Koda 2 (Brother Bear 2)
Scary Movie 4 Que Susto de Filme (este título não podia ser mais perfeito)

Dia 21

Capote
História de Violência (A History of Violence)
Hostel
O Novo Mundo
O Tigre e a Neve


Dia 28

Date Movie
Terror nas Montanhas (The Hill Have Eyes)
 

Dia 29

Como Despachar um Encalhado (Failure to Launch)

 

Trailers: Capote, Infiltrado, O Novo Mundo, V de Vingança

Destaques da Semana

Esta semana destaco os lançamentos de V de Vingança (V for Vendetta) de de Infiltrado (Inside Man), ambos disponíveis de partir de dia 14.


   


Ambos são excelentes filmes, com um argumento bastante interessante e inteligente. Dois dos melhores filmes estreados este ano.


Links: V de Vingança: imdb, trailer; Infiltrado: imdb, trailer

 

Novidades do dvd de Coisa Ruim

 

Nuno Markl anunciou hoje no seu blog que vai participar como moderador no comentário audio do dvd de Coisa Ruim, juntando-se assim a Tiago GuedesFrederico Serra (realizadores) e Rodrigo Guedes de Carvalho (argumentista).

Tive a sorte de ver o filme no Festroia deste ano (na secção de Cinema Português do Ano) e gostei bastante, é um thriller com excelentes diálogos, uma bela realização, e uma reflecção muito interessante sobre o poder das superstições nos meios rurais.

Só não gostei muito da banda sonora (como é habitual em filmes portugueses, a maior parte parecia completamente fora de contexto), e tenho pena que um filme que demora (e bem) o seu tempo a explorar as personagens, diálogos e situações, tenha tido um final tão abrupto.

O comentário audio deverá ser gravado na próxima semana, o dvd deverá sair na altura do Natal.

Grandes Filmes, Péssimas Edições

 

Como já tinha noticiado anteriormente, o jornal Expresso iniciou hoje o lançamento da sua colecção Grandes Filmes.


Mas afinal estes "Grandes Filmes" não mereceram por parte do Expresso um tratamento condizente com o nome dado à colecção.


Para começar o dvd arranca com o já conhecido anúncio anti-pirataria, que aparece em muitas edições. O anúncio já é irritante só por si, ninguém que esteja a pensar fazer uma cópia ilegal vai ter um ataque de moralismo só porque nos dizem que copiar um dvd é como roubar um carro, e quem não comete estas loucuras não devia ter de levar com o anúncio em quase todos os dvd's legais que compra... Mas o que é realmente irritante, neste caso, é que o anúncio não poder ser ultrapassado, e só se tem acesso ao menu inicial depois de este ter sido visto na interra. Deve ser o castigo por estarmos a ver um dvd que foi grátis.


O menu é uma horrível montagem de imagens do filme (o da edição que se encontra à venda é uma bela vista aérea de Toquio durante a noite) e não há qualquer extra. Mas aqui não há novidade nenhuma, isto é frequente nas edições nos jornais, e já que o dvd é gratuito ninguém esperaria mais. Seria de esperar, isso sim, que o filme não estivesse mutilado.


Tal como nunca vi  um quadro ser cortado só para caber numa moldura mais pequena, faz-me bastante confusão perceber a lógica de cortar um filme originalmente concebido em formato panorâmico para o colocar em 4:3. O realizador escolhe as imagens que quer passar para a película, o enquadramento que melhor mostra o que quer transmitir, para depois na edição em dvd, chegar um qualquer editor sem sensibilidade artística ou identificação com o filme e cortar um bocado de cada lado... Simplesmente não faz sentido.


É o que acontece nesta edição de Lost in Translation, não só a imagem está em 4:3, como o som é Dolby Digital 2.0, em estéreo portanto. Imagino que não ser uma pista em mono é já uma sorte...


Felizmente já há muito que tinha comprado a edição que se encontra à venda nas lojas, e para melhor mostar aquilo que disse em cima, deixo aqui umas imagens para que se possa comparar a diferença entre as duas edições.

 

 

Dizem que a cavalo dado não se olha ao dente... Mas parece-me que quando comprar as próximas edições do Expresso, deixo os dvds  no quiosque, pode ser que alguém não se importe de ver filmes assim.

Pág. 2/2